Assinatura RSS

Arquivo do autor:Gabriela Ribeiro

Comida japonesa faz bem?

Literalmente nunca esteve tanto na moda aqui no Brasil. A comida japonesa foi chegando e conquistou um publico que aos poucos se tornou extremamente fiel. De início, só cabia um olhar desconfiado. “Peixe cru?”. Mas depois de provar pela primeira vez, tem-se a sensação de que não é tão estranho assim, mesmo não achando a melhor comida do mundo. Um pensamento que aos poucos vai mudando, já que a partir da segunda vez adiante, ela se torna sim a melhor comida do mundo, do qual, poderia ser como a italiana, a americana, a australiana, a nordestina, a mineira, mas não, além de muito boa, ela faz é um bem danado, não se resumindo ao simples fato de ser gostoso, e sim, pelo fato de ser um ótimo caminho para se ter uma vida saudável.

O povo japonês é um dos que tem a maior expectativa de vida do mundo, e com certeza, isso não se deve ao nível de desenvolvimento do país, mas pelo contrário. Os japoneses também prezam por coisas bem naturais que não é necessário tecnologia: uma boa alimentação, além de procurarem sempre o equilíbrio do corpo e da mente.

A alimentação tão balanceada que ajuda a vida ser mais longeva é composta basicamente por: arroz, algas, legumes, verduras, soja, frutos do mar e muito peixe.

Uma pesquisa publicada no Jornal Europeu de Nutrição Clínica comprovou que as pessoas que seguem uma dieta japonesa saudável têm cerca de 40% menos sintomas de depressão do que aquelas que não a seguem.De acordo com o site Eliminando Peso, as preparações levam pouca ou nenhuma gordura saturada (o tipo que é nocivo ao organismo) tornando os pratos mais leves, os alimentos crus preservam 100% dos nutrientes e, além disso, são ricos em substâncias importantes para preservar a saúde, como o ômega 3 do salmão, que previne contra doenças cardiovasculares, ou o lentinan dos cogumelos, que reforça o sistema imunológico.

Algo que é necessário ter é bastante bom senso, porque para aqueles que desejam emagrecer, vivendo de sushi e Cia, devem evitar versões fritas ou com cream cheese e maionese.

Já para aqueles que ainda não aderiram a moda que provavelmente não vai embora nem tão cedo, fica a dica: vale a pena se arriscar. Se arrepender? Certamente não. Então, passe você também a viver mais levemente.

Acabe com as celulites com a Massagem Modeladora

A celulite como sempre vem causando dores de cabeça nas mulheres, principalmente quando elas não conhecem uma maneira para conseguir amenizá-las. A grande maioria sabe que há famosos tratamentos em clínicas de estética, mas que é necessário pagar, dependendo de qual tipo de tratamento, fortunas. O que poucas sabem são sobre as formas caseiras de acabar com os furinhos.

Pois bem, para tentar passar de vez essa dor de cabeça, o Saúde e Você vai passar uma dica importantíssima para que toda mulher possa começar a tratar a celulite de uma maneira simples, em casa e gastando pouco: massagem modeladora caseira.

Para ajudar a ter um efeito melhor é importante que a massagem seja feita com um creme especial anticelulites. Mas é apenas com isso que você precisará colocar a mão no bolso. Compre um bom creme especialmente para o combate das celulites. De acordo com o site da Boa Forma, os novos cremes anticelulite estão mais poderosos: travam boa briga não só com os furinhos mas também com a gordura localizada e com a flacidez.

Siga as dicas

Para que a massagem realmente tenha efeito, é necessário que o creme atravesse a pele até chegar as células de gordura, para isso, siga as dicas abaixo:

  1. – Comece a massagear o local escolhido com bastante força, a ponto de deixar o local com marcas vermelhas e aquecida, com isso irá agilizar a penetração do produto, amolecer a gordura e facilitar a queima;
  2. – Passe o creme na barriga, envolva a cintura com o braço e puxe bem forte com a mão, da lateral do corpo em direção ao umbigo, como se quisesse marcá-la.
  3. – Após espalhar o creme, massageie com força toda a extensão da coxa, dos joelhos em direção à virilha. As mãos ficam fechadas. Imagine que está tentando “quebrar” a gordura com a dobra dos dedos.
  4. – Com as duas mãos fechadas e movimentos vigorosos, empurre a gordura acumulada na barriga de baixo para cima.

 

Agora, basta você fazer sessões semanalmente para que você consiga ver resultados.

Fonte: Boa Forma

Parar de fumar: é difícil, mas você consegue!

Parar de fumar não é uma tarefa fácil. Quem comprova isso, são os próprios fumantes que decidem largar o cigarro, mas não conseguem. De acordo com os dados divulgados pelo site da Globo, apenas 5% das pessoas que tentam aban- donar o vício, conseguem depois de um ano. E o sexo feminino é minoria nessa história.

As mulheres carregam um importante empecilho que as impedem de chegar no objetivo principal (parar de fumar): o medo de engordar. Elas perdem em média 14 anos de vida por conta desse hábito, que acarreta problemas como câncer de mama ou pulmão, infertilidade, infarto, AVC, mais cólicas pré -menstruais, menopausa precoce e osteoporose.

O hábito de fumar é conhecido como tabagismo e considerado uma doença, já que o conceito de saúde proposto pela OMS é de uma situação de bem estar físico, psíquico e social, o contrário da saúde de um fumante. Portanto, trata-se de uma doença que precisa ser prevenida e tratada. Em relação ao tratamento, além dos 5% que param de fumar sozinho, há aqueles que recorrem ao auxílio médico e do uso de remédios para largar o vício.

Dicas para parar de fumar:

  1. Primeiramente, liste os motivos que fazem com que você continue fumando, e também liste os motivos que te fazem querer para de fumar;
  2. Marque a data para parar de fumar. O dia deve ser marcado com duas semanas de antecedência;
  3. Aos dias que antecedem a data tente reduzir a quantidade de cigarros que você costuma fumar;
  4.  No dia marcado, pare de fumar abruptamente;
  5. Siga recomendações do médico, se for o caso;
  6. Fuja da rotina e do estresse e evite situações que aumentam o desejo de fumar
  7. Beba bastante água e procure comer alimentos mais leves;
  8.  Lembre-se dos benefícios que terá ao parar de fumar;
  9. Não caia na tentação, nem por apenas um cigarro, ele pode acabar com o tratamento;
  10. Pratique atividades físicas;
  11. Evite bebida alcoólica

 

Os sintomas de abstinência tendem a desaparecer após 4 semanas, mas o desejo poderá persistir algumas vezes, mas a força de vontade de parar deve ser mais forte.

Problema de Refluxo

Muito se ouve falar em criança e não pode comer certo alimento devido o refluxo. Num ato ingenuo, as pessoas acham um assunto até bobo e que é “frescura” da mãe querendo proteger demais o filho. O importante disso é qua não há nada de bobo nesse assunto e que deve ser encarado com seriedade.
 
O conceito dado pela wikipédia, a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) consiste no refluxo de conteúdo alimentar presente no estômago para o esôfago, normalmente com pH ácido, embora possa ser também de conteúdo biliar, neste caso chamado refluxo alcalino. O refluxo, que contém material ácido, atinge a faringe e até boca, provocando, tal como napirose, ardor, queimação, mal estar e em casos extremos a morte.
 
O problema atinge principalmente as crianças, mas os adultos não são esquecidos. Cerca de 35 milhões de brasileiros, dentre crianças e adultos têm refluxo.

Sintomas do Refluxo

–        Azia, sensação de queimor retroesternal e epigástrica, que pode subir até à garganta
–       dor no precórdio, em queimação, simulando uma dor cardíaca, problemas respiratórios (asma, broncopneumonia) ou do orofaringe (tosse, pigarro ou rouquidão).
–        Dificuldade para engolir e dor torácica crônica, e ainda pode incluir tosse, rouquidão, altera, dor crônica no ouvido, dores agudas (pontadas) no tórax, nausea ou sinusite.
 

Tratamento

O problema do refluxo pode ser tratado. Os problemas mais leves são tratados com medicamentos antiácidos e melhoram seu esvaziamento. Já para os casos mais graves podem estar indicados a tratamento cirurgico.

Importância da água

Que não sobrevivemos sem água, isso é fato. Mas, cada vez mais as evidências científicas vêm mostrando o quanto a água é importante para o corpo humano. Todas as pessoas de qualquer idade precisam e devem tomar a quantidade ideal de água para o seu organismo, afinal trata-se de um líquido indispensável e vital quando se pensa em saúde.
 
Poucos sabem, mas a água é tão importante, que uma perda de 20% dela pode levar a morte e uma perda de 10% causar distúrbios graves (cerca de 60% do peso de uma pessoa é referente à água). Ou seja, a maioria das funções do corpo humano quem desempenha é ela, como a hidratação, veículo dos nutrientes, digestão, absorção, transporte, excreção e auxílio no controle da temperatura corporal.
 
Vale deixar claro que as necessidades de energia e água de um indivíduo estão relacionadas ao sexo, idade, atividade física e até temperatura ambiente. É possível fazer estimativas, como muitos já devem ter escutado de que o ideal é consumir 2 litros do líquido por dia, mas é interessante considerar todas as características do indivíduo.
 
Uma informação valiosa, tanto para as mulheres como para os homens é que a água também é um grande aliado da beleza, pois caso haja insuficiência do líquido, alguns problemas como pele seca, cabelos fracos, problemas intestinais e outros mais graves como cálculos renais e hipertensão serão notados.
 
’’Quanto de água eu devo beber?’’  Dica: de acordo com a especialistas, existe uma referência que fala em 1 ml de água para cada caloria ingerida, ou seja, em uma dieta de 2000 calorias, o ideal seria ingerir 2 litros de água, lembrando que parte dessa água é proveniente dos alimentos.

Viciado em Chocolate

Você que é louco por chocolate, com certeza, já deve ter dito que é viciado ao doce. A grande questão é que esse impulso, de querer o chocolate a qualquer custo, é realmente um vício? Você é realmente dependente do chocolate¿

Bom, se você é um daqueles que enquanto não comer, a imagem do chocolate fica latejando em sua cabeça, você não parece ver mais nada, não quer conversar com ninguém, não quer parar em lugar nenhum, a não ser o mercadinho que vende algum tipo de chocolate, então pode-se acreditar que você é sim um viciado. Parece até droga! O mais legal disso é que esse é um dos poucos vícios que a pessoa gosta de assumir ter, e coitado de alguém que insista em dizer que você não seja um chocólatra.

Mas sempre há aqueles que gostam de desafiar. Para Peter Rogers, psicólogo da Universidade de Bristol, o fato dos chamados “chocólatras” não conseguirem controlar seus impulsos não se trata de um vício. “O fato do chocolate preto possuir substâncias psicoativas que causam estímulos no cérebro dos seres-humanos não fazem desse consumo um vício”, disse ele ao portal do Terra.

Deixe seu comentário. Você é ou não é viciado em chocolate? De todos no mercado, qual o seu preferido?

Problemas causados pelo salto alto

Eu sei que toda mulher deve ter pelo menos um sapato de salto alto dentro de seu guarda-roupa. Confesso que tenho não só um, mas alguns, mas posso garantir que é muito pouco em relação a quantidade que muitas mulheres,vejam bem, estou falando da grande maioria das mulheres do mundo. É completamente um vício, mais considerado uma paixão por elas. Elas porque sinceramente não me considero nesse quadro, já que não sou consumidora árdua de sapatos.

Acredito que todas saibam de verdade, do quanto que o sapato alto prejudica a mulher, caso seja usado constantemente. Acredito também que o salto alto dá sim um charme e elegância a mais, nos deixando com cara de “mulher fatal”. Mas estou aqui para passar uma informação séria e que precisa ter a atenção merecida.

PROBLEMAS

O uso constante do salto pode fazer com que a mulher mude o eixo de gravidade para frente, diminuindo a base de apoio para os dedos dos pés, o que pode causar o encurtamento nos músculos da panturrilha (batata da perna), tendinite, fraqueza muscular, ruptura de ligamentos, entorse (virada de pé), esporões de calcâneos e tornozelos, além de lordose lombar, dores nos joelhos, calosidade, joanetes e unhas encravadas, caso o sapato tenha bico fino. Com o tempo, outros problemas também podem surgir, como problemas no quadril, gerando deformidades e artrose dos ossos, descontrole postural, desequilíbrio e mudanças na marcha, causando quedas.

O que acontece hoje, é que apesar de nós escutarmos muita gente dizer “o salto alto dá problema”, nunca tomamos precauções para evitar os problemas. Tudo porque a vaidade supera completamente o medo. “Sinto dor no pé e no pescoço quando fico muito de salto, vou para a balada. Sei que é verdade, que pode causar problemas. Tenho medo de ter alguma coisa, mas não deixo de usar”, diz a jovem de 19 anos Carla Santos.

DICA

De acordo com a Revista Marie Claire, para se sentir bem sempre, a melhor receita é intercalar o uso de sapatos de salto alto e de sola plana, assim a musculatura da perna fica em um estágio intermediário – quem guarda os saltos apenas para ocasiões especiais geralmente termina a festa carregando os sapatos na mão.

Bom, fica aqui a dica. Espero que apesar da resistência ao salto baixo, vocês possam usá-los, pelo menos, de vem em quando.