Assinatura RSS

Arquivo da categoria: Saúde em risco

Parar de fumar: é difícil, mas você consegue!

Parar de fumar não é uma tarefa fácil. Quem comprova isso, são os próprios fumantes que decidem largar o cigarro, mas não conseguem. De acordo com os dados divulgados pelo site da Globo, apenas 5% das pessoas que tentam aban- donar o vício, conseguem depois de um ano. E o sexo feminino é minoria nessa história.

As mulheres carregam um importante empecilho que as impedem de chegar no objetivo principal (parar de fumar): o medo de engordar. Elas perdem em média 14 anos de vida por conta desse hábito, que acarreta problemas como câncer de mama ou pulmão, infertilidade, infarto, AVC, mais cólicas pré -menstruais, menopausa precoce e osteoporose.

O hábito de fumar é conhecido como tabagismo e considerado uma doença, já que o conceito de saúde proposto pela OMS é de uma situação de bem estar físico, psíquico e social, o contrário da saúde de um fumante. Portanto, trata-se de uma doença que precisa ser prevenida e tratada. Em relação ao tratamento, além dos 5% que param de fumar sozinho, há aqueles que recorrem ao auxílio médico e do uso de remédios para largar o vício.

Dicas para parar de fumar:

  1. Primeiramente, liste os motivos que fazem com que você continue fumando, e também liste os motivos que te fazem querer para de fumar;
  2. Marque a data para parar de fumar. O dia deve ser marcado com duas semanas de antecedência;
  3. Aos dias que antecedem a data tente reduzir a quantidade de cigarros que você costuma fumar;
  4.  No dia marcado, pare de fumar abruptamente;
  5. Siga recomendações do médico, se for o caso;
  6. Fuja da rotina e do estresse e evite situações que aumentam o desejo de fumar
  7. Beba bastante água e procure comer alimentos mais leves;
  8.  Lembre-se dos benefícios que terá ao parar de fumar;
  9. Não caia na tentação, nem por apenas um cigarro, ele pode acabar com o tratamento;
  10. Pratique atividades físicas;
  11. Evite bebida alcoólica

 

Os sintomas de abstinência tendem a desaparecer após 4 semanas, mas o desejo poderá persistir algumas vezes, mas a força de vontade de parar deve ser mais forte.

Importância da água

Que não sobrevivemos sem água, isso é fato. Mas, cada vez mais as evidências científicas vêm mostrando o quanto a água é importante para o corpo humano. Todas as pessoas de qualquer idade precisam e devem tomar a quantidade ideal de água para o seu organismo, afinal trata-se de um líquido indispensável e vital quando se pensa em saúde.
 
Poucos sabem, mas a água é tão importante, que uma perda de 20% dela pode levar a morte e uma perda de 10% causar distúrbios graves (cerca de 60% do peso de uma pessoa é referente à água). Ou seja, a maioria das funções do corpo humano quem desempenha é ela, como a hidratação, veículo dos nutrientes, digestão, absorção, transporte, excreção e auxílio no controle da temperatura corporal.
 
Vale deixar claro que as necessidades de energia e água de um indivíduo estão relacionadas ao sexo, idade, atividade física e até temperatura ambiente. É possível fazer estimativas, como muitos já devem ter escutado de que o ideal é consumir 2 litros do líquido por dia, mas é interessante considerar todas as características do indivíduo.
 
Uma informação valiosa, tanto para as mulheres como para os homens é que a água também é um grande aliado da beleza, pois caso haja insuficiência do líquido, alguns problemas como pele seca, cabelos fracos, problemas intestinais e outros mais graves como cálculos renais e hipertensão serão notados.
 
’’Quanto de água eu devo beber?’’  Dica: de acordo com a especialistas, existe uma referência que fala em 1 ml de água para cada caloria ingerida, ou seja, em uma dieta de 2000 calorias, o ideal seria ingerir 2 litros de água, lembrando que parte dessa água é proveniente dos alimentos.

Problemas causados pelo salto alto

Eu sei que toda mulher deve ter pelo menos um sapato de salto alto dentro de seu guarda-roupa. Confesso que tenho não só um, mas alguns, mas posso garantir que é muito pouco em relação a quantidade que muitas mulheres,vejam bem, estou falando da grande maioria das mulheres do mundo. É completamente um vício, mais considerado uma paixão por elas. Elas porque sinceramente não me considero nesse quadro, já que não sou consumidora árdua de sapatos.

Acredito que todas saibam de verdade, do quanto que o sapato alto prejudica a mulher, caso seja usado constantemente. Acredito também que o salto alto dá sim um charme e elegância a mais, nos deixando com cara de “mulher fatal”. Mas estou aqui para passar uma informação séria e que precisa ter a atenção merecida.

PROBLEMAS

O uso constante do salto pode fazer com que a mulher mude o eixo de gravidade para frente, diminuindo a base de apoio para os dedos dos pés, o que pode causar o encurtamento nos músculos da panturrilha (batata da perna), tendinite, fraqueza muscular, ruptura de ligamentos, entorse (virada de pé), esporões de calcâneos e tornozelos, além de lordose lombar, dores nos joelhos, calosidade, joanetes e unhas encravadas, caso o sapato tenha bico fino. Com o tempo, outros problemas também podem surgir, como problemas no quadril, gerando deformidades e artrose dos ossos, descontrole postural, desequilíbrio e mudanças na marcha, causando quedas.

O que acontece hoje, é que apesar de nós escutarmos muita gente dizer “o salto alto dá problema”, nunca tomamos precauções para evitar os problemas. Tudo porque a vaidade supera completamente o medo. “Sinto dor no pé e no pescoço quando fico muito de salto, vou para a balada. Sei que é verdade, que pode causar problemas. Tenho medo de ter alguma coisa, mas não deixo de usar”, diz a jovem de 19 anos Carla Santos.

DICA

De acordo com a Revista Marie Claire, para se sentir bem sempre, a melhor receita é intercalar o uso de sapatos de salto alto e de sola plana, assim a musculatura da perna fica em um estágio intermediário – quem guarda os saltos apenas para ocasiões especiais geralmente termina a festa carregando os sapatos na mão.

Bom, fica aqui a dica. Espero que apesar da resistência ao salto baixo, vocês possam usá-los, pelo menos, de vem em quando.

A má postura

Postura. Esta é uma velha conhecida dos seres humanos e prejudica muito a todos que não tentam corrigi-la. Muitas pessoas tem de dores no corpo, principalmente nas costas, e somente depois de algum tempo percebem que sua postura estava errada e esta era a grande responsável por suas dores. Podendo causa várias lesões, é imprescindível que todos cuidem de sua postura, independente de onde seja, seja no trabalho ou em casa descansando no sofá. A educação postural é que deve acontecer desde a infância para prevenir futuros problemas.

Segundo o Dr. Mauro Bosi, ortopedista do Fusame – Hospital Municipal de Americana, interior de São Paulo, em entrevista para o site Boa Saúde, para ter uma postura correta é  necessário  praticar atividade física regularmente e corrigir sempre a postura nas atividades diárias, mantendo a coluna reta o tempo todo para que assim não ocasione lesões ou dores musculares. Existem ainda três desvios na coluna: a escoliose, a cifose e a lordose, podendo ser desvios provocados por má postura ou por genética. Os desvios são problemas físicos que podem ser tratados com fisioterapia, coletes, ou, quando há necessidade, com tratamento cirúrgico.

No inicio, a má postura levará apenas a dores musculares, provocando pequenas lesões, mas com o passar do tempo o desvio pode ser irreversível, como no caso dos idosos que, por causa da idade, tem maiores problemas com dificuldades relacionadas a coluna. Hoje, todas as pessoas tem consciência do mal que a postura incorreta faz para o nosso corpo, mas tem uma dificuldade tremenda em corrigi-la. Se o médico for procurado ou até mesmo um professor de academia que faça avaliações físicas, eles poderão corrigir seu problema e ajudar para que essa correção seja feita da maneira mais fácil e menos dolorida. É difícil? Sim, muito! Afinal, estaremos corrigindo costumes e hábitos, mas nada que um esforço a mais não ajude e traga benefícios enormes para sua saúde hoje e daqui a alguns anos.

Anticoncepcional e cigarro: o perigo que você mal imagina

A maioria das mulheres já tem em mente que tomar a pílula anticoncepcional pode ser uma das maneiras que contribuem para não engravidar na hora da relação sexual. O que muitas ainda não sabem, ou sabem, mas não dão importância, é que esse medicamento pode trazer sérios problemas para uma usuária fumante. Além de todos os malefícios que o cigarro provoca em nosso organismo – tanto para o fumante passivo, quanto para o ativo -, especialistas dizem que, quando combinadas suas substâncias tóxicas ao uso da pílula anticoncepcional, várias complicações podem surgir.

Nas mulheres mais jovens, os principais problemas são o de circulação e o surgimento de varizes. O AVC e infartos são mais propícios em mulheres que tenham 30 anos ou mais. A pele e os cabelos também são prejudicados e as mulheres devem atentar-se se possuírem problemas de hipertensão, pois a pílula altera o sistema vascular. Vale salientar que o cigarro não anula o efeito da pílula.

Então, nada melhor do que consultar seu(ua) ginecologista para procurar o melhor método anticoncepcional caso você seja uma mulher fumante.