Assinatura RSS

Arquivo da categoria: Variados

O peso das maxibolsas para o seu corpo

Maxibolsas
Maxibolsas

Bolsa de mulher, principalmente essas ENORMES que a moda inseriu no mercado, tem de tudo: carteira, celular, maquiagem, perfume, agenda, enfim, inúmeros objetos que serão, ou não, úteis no decorrer do dia. E o grande perigo que se esconde aí é o PESO delas para o corpo. Especialistas recomendam que a bolsa a ser carregada não deva pesar mais do que 10% da massa corpórea da pessoa. Porém, em meio às necessidades de utilização desses objetos, as mulheres acabam não pensando nas consequências e os deixam em suas bolsas.

Visto que a maioria delas é carregada em um só ombro, o peso dos objetos se concentra em apenas um lado do corpo, o que pode provocar uma sobrecarga desproporcional e causar dores nos ombros e em outras regiões. De acordo com a fisioterapeuta Lucélia Amaral, “além das dores nos ombros, a região da cervical também acaba sendo prejudicada e o que era apenas uma dor se torna algo muito mais complicado do que o imaginado, como um desvio de coluna”. Por causa do excesso de peso, dos movimentos repetitivos e da falta de exercícios compensatórios a pessoa pode adquirir escoliose, lordose, cifose, entre outros.

Desvios da Coluna
Desvios da Coluna

Algumas dicas:

  • Primeiramente, verificar se os objetos que você irá colocar em sua bolsa são realmente úteis no seu dia. Se não, escolher os que forem necessários;
  • Procurar alternar entre os ombros a bolsa para uma sustentação melhor. Evitar carregá-la de um só lado;
  • Se possível, optar por bolsas que possuem alças transversais;
  • Utilizar embalagens pequenas no que diz respeito aos produtos de higiene, de forma a economizar espaço e diminuir o peso da bolsa.

E lembrem-se, ao sentir dores, não as ignore. Procure um médico especializado.

Abaixo uma reportagem sobre o uso das bolsas grandes e os malefícios do seu peso.

Drogas de Abuso

Qualquer produto farmacêutico que modifique a qualidade das informações que chegam ao cérebro ou altere diretamente seu funcionamento pode ser objeto de uso abusivo e sociedade entende muito bem sobre esse assunto, pelo menos na prática. Isso pode ser observado com vários produtos e um deles está no consumo simples de analgésicos como aspirina, por exemplo, ou medicamentos para reduzir a ansiedade, induzir o sono, inibir o apetite ou para doenças psiquiátricas. O que caracteriza o uso abusivo é a condição de dependência e a necessidade de utilizar doses cada vez maiores, com claros riscos para a saúde.

Dentro das drogas de abuso, existem as drogas reacionais que o ser humano conhece, mas desconhece suas consequências. Estas são substâncias que não tem finalidade terapêutica e são utilizadas com o intuito de promover alteração na percepção ou no comportamento do usuário. Algumas delas, como o álcool e a cafeína, são liberadas e chegam a ser consumidas em grande escala, com níveis de complicações muito diferentes entre si. Outras, proibidas, possuem grande potencial de dependência e de prejuízo à saúde. O consumo de bebidas alcoólicas – tanto agudo quanto crônico – associa-se a maior risco de envolvimento em acidentes, atos de violência e leva a diversos problemas de saúde. Já a utilização da cafeína não é associada a riscos de tal magnitude.

As drogas abusivas e ilícitas mais consumidas no Brasil são a maconha, cocaína e a metanfetamina. O consumo de heroína e de ácido lisérgico é bastante reduzido no Brasil e estima-se que em uma grande cidade brasileira pode-se encontrar seis usuários de maconha e dois de cocaína para cada 100 habitantes. Hoje, o consumo de tais drogas se tornou banal e comum para a sociedade moderna, pois seu consumo é intenso e normal perante seus olhos. Mas todos devemos ficar atentos, já que sabemos que essas drogas viciam e não trazem bem algum para o nosso organismo, pelo contrario, só prejudicam cada vez mais as nossas vidas.

Uma solução para as celulites indesejadas

Quem nunca ouviu falar em drenagem linfática? E nas melhorias que a mesma causa na nossa saúde? O blog Saúde e Você traz explicação desse novo método que é adquirido pela maioria das mulheres.

A celulite é um mal que todas nós possuímos. A drenagem linfática entra nesse contexto como um combatente a elas. Ela age nos vasos linfáticos através de massagem estimulante no sentido do coração, fazendo eliminar as toxinas do nosso corpo.

Para maior resultado, são recomendadas dez sessões de drenagem. Na primeira sessão, pode-se observar melhoria no aparelho digestivo e a diminuição do inchaço no corpo.

Segundo a esteticista Neusa Maria Pessoa, a drenagem estimula a quebra da gordura e a diminuição na retenção de líquido “a drenagem é muito boa para todas as mulheres. Se elas soubessem o beneficio que ela causa para a pele e para a circulação, todas fariam”, diz Neusa ao blog Saúde e Você.

Para Silmara Villani, a drenagem além de reduzir as celulites, ajuda a manter a pele mais firme “desde o primeiro dia de sessão já notei resultado” afirma. A drenagem faz parte da rotina de muitas mulheres. As especialistas afirmam que a procura pelas sessões aumentam nessa época do ano, pelo desejo da boa forma para o verão.

A importância dos exercícios

O que pode ser melhor que chegar à maturidade com aparência que não denuncia a idade cronológica? Assim, pega de surpresa, você pode não saber a resposta, mas para os pesquisadores ela está na ponta da língua: um cérebro jovem e com risco bem menor de doenças que levam à demência. O cérebro é um órgão ávido por oxigênio e necessita dele para o perfeito funcionamento. Chega a utilizar mais de 20% de todo o oxigênio do corpo. Os exercícios físicos, por sua vez, melhoram a vascularização cerebral, inclusive a formação de novas artérias, suprindo melhor o cérebro com sangue e oxigênio. Existem, ainda, estudos experimentais mostrando que são produzidos novos neurônios e conexões elétricas entre eles.

Um estudo realizado na Universidade de Melbourne, na Austrália, submeteu voluntários de 50 anos e com problemas de memória a exercícios regulares por 24 semanas. E, acredite, foram comprovadas a melhora dessa função, além da cognitiva (processamento dos dados), e a redução de sinais de demência. Cerca de 150 mulheres analisadas na University of British Columbia, no Canadá, mostraram que atividades praticadas com peso, duas vezes na semana, potencializam o teste cognitivo de memória e aprendizagem, sem contar as funções executivas, como resolução de conflitos. “A musculação ou o pilates parecem potencializar essa função pela necessidade de concentração, seja para aprender os movimentos ou utilizar pesos e aparelhos, além do controle do número de repetições.” Diz a educadora física, Bettina Moritz. Já um programa de exercícios aeróbicos realizado com pessoas de 60 a 79 anos, durante seis meses, pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, comprovou aumento do volume do cérebro. Comparadas a idosos sedentários, percebeu-se maior volume de substância cinzenta e, segundo a educadora física Bettina Motriz, exercícios aeróbicos estimulam o brotamento de neurônios na região onde são arquivadas as memórias recentes, além de melhorar a elasticidade das artérias.

Exercícios simples, como ler e dançar também estimulam as atividades cerebrais, melhoram a memória, as habilidades e o raciocínio. Mexer o corpo, ninguém duvida mais, é essencial para o funcionamento da massa cinzenta. Em outras palavras, afasta doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson, e também quadros de depressão e crises de ansiedade. Então, espante já a preguiça e vá suar a camisa para o bem do seu corpo e, principalmente, do seu cérebro.  “A atividade física é um instrumento fantástico para o retardamento das alterações que ocorrem com o envelhecimento. Aliás, muitas dessas mudanças se devem mais a falta de exercícios do que propriamente ao processo de envelhecer.” – José Kawazoe Lazzoli, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, em entrevista para a revista Pense Leve.

http://www.youtube.com/watch?v=_exVMrYdLeM

Quanto mais sexo, mais saúde!

Cinco Vezes por semana. Você não faz cinco vezes por semana? Como não? Pois deveria! Seja lá quem ou o que impeça você de fazer sexo essas vezes– mulher dizendo que tá com dor de cabeça, homem dizendo que tá cansado, entre outros motivos – vai ter que dá um jeito e abrir mão, pois segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, transar com freqüência faz bem para saúde e principalmente para pressão alta.

Além do benefício que o ministro apontou, o sexo pode ser considerado um esporte, – também não precisa largar a academia e o futebol, tem tempo pra tudo – pois melhora a circulação, a pele aparenta ser de porcelana, você fica tranqüila tranqüila, e ainda pode perder 300 calorias em 1 horinha. Quanta coisa não?

De acordo com a Boa Forma “transar estimula o organismo a produzir algumas substâncias preciosas para a aparência e o bem-estar. A endorfina dá aquela sensação de prazer, além de regular o sono e afastar a depressão. Já a beleza da pele e o brilho do cabelo são conseqüências do aumento do nível de estrógeno no sangue”.

Veja oito benefícios que o sexo oferece:

Melhora o Olfato

Rejuvenesce

Emagrece

Aumenta a expectativa de vida

Alivia a dor

Combate depressão

Previne resfriados

Então você já sabe, sexo cinco vezes por semana. Mas não esqueçam, sexo é um esporte supersaudável, talvez até mais que todos, mas não substitui a atividade física.

Lembrem-se também do mais importante de tudo, não vele nada transar frequentemente e não se prevenir, portanto para ser saudável, obrigatoriamente tem que ser seguro.

Sexo, drogas e Rock’n Roll.

A garotada de hoje em dia está pensando que é brincadeira. Muitas meninas de 12 à 18 anos estão virando mães. E onde entram os métodos contraceptivos nessas horas? Não existem? E as doenças sexualmente transmissíveis? Ninguém pensa que isso é sério?

“Eu não pensei naquele momento que eu ficaria grávida. Meu namorado tinha 16 anos e eu 15. Hoje minha filha tem 2 anos, meu namorado me deixou. Minha mãe fala que é uma criança cuidando de outra” Kátia Lins Silveira, 18 anos

Você sabia que além do anti concepcional que tornou-se gratuito em postos de saúde, existem outros meios contraceptivos? O “Diu” que ficou bem conhecido por impossibilitar o processo reprodutivo, dificulta a passagem do espermatozóide além de alterar suas características.

E a camisinha feminina? Apesar de não ser tão popular quanto a masculina, também é comercializada e é um método contraceptivo de barreira, que previne a contaminação pelo vírus da AIDS e outros micro-organismos causadores de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Assim como a camisinha masculina, não pode ser reutilizada. ” Eu optei por utilizar a camisinha feminina, não incomoda e hoje em dia é um diferencial para as mulheres” Carolina Camello, 32 anos.

Além da pílula do dia seguinte que deve ser tomada em dose única ou em duas doses, em um intervalo de 12 horas entre a tomada da primeira pílula e a segunda., existe também aquela famosa tabelinha que é um procedimento contraceptivo que busca prever a data da ovulação da mulher para que se evite a gravidez.

A tabelinha funciona assim:

Em um papel crie quadrinhos enumerados com os dias do mês;

Marque com uma determinada cor o dia no qual se iniciou o ciclo menstrual;

Marque com outra cor do sétimo ao nono dia após a iniciação do ciclo, determinando o período de alerta;

Marque com uma terceira cor do décimo ao décimo quinto dia após a iniciação do ciclo, determinando o período fértil;

Marque com a cor selecionada para o período de alerta os dias entre o décimo sexto e o vigésimo primeiro.

Marque com a cor selecionada para os dias em que ocorre o ciclo menstrual os demais dias do mês.

Deste jeito:

Para mais informações consulte um ginecologista.

E fique atento, sempre pensamos que nunca pode acontecer conosco, é sempre uma surpresa!

AIDS

Cerca de 33 milhões de pessoas no mundo já foram infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana, o famoso e destruidor vírus da AIDS.  No começo dos anos 80, a infecção era associada a um grupo de pacientes de risco que são os homossexuais e usuários de drogas, mas, hoje, a doença atinge homens e mulheres sem discriminação. O vírus é uma doença que causa na falência do sistema imunológico da pessoa, ou seja, mata suas defesas naturais e impede que organismo combata as outras doenças que existem. Com o “ataque” do vírus da AIDS às defesas do corpo, o organismo fica mais sujeito ainda a doenças tumorais e infecções que poderiam ser combatidas pelo nosso corpo.

Os sintomas da AIDS são apresentados entre a contaminação e a instalação deles, ou seja, pode existir um longo período em que o paciente não apresenta nenhuma manifestação da doença. Esse intervalo varia de cada organismo e, em geral, de duas a seis semanas depois do contato o paciente pode desenvolver sintomas como febre, dor de garganta, aumento dos gânglios, entre outros. Embora esses sintomas apareçam em várias outras doenças, no paciente infectado pelo HIV representam a forma aguda da infecção ou a primeira manifestação da doença. Por ser confundida com sintomas de outras enfermidades, essa fase pode passar despercebida pelo paciente.  Após um longo período de tempo, podem surgir outros sintomas que são decorrentes de algumas doenças oportunistas, que aproveitam a fraqueza do organismo para se instalar em nosso corpo, assim esses sintomas são muito variados e não são exclusivos da infecção pelo HIV. Os sintomas mais comuns são: diarréia crônica, febre e sudorese, aparecimento de candidíase oral (sapinho), problemas de pelo, pneumonia e emagrecimento exagerado.

O vírus do HIV pode ser transmitido de algumas maneiras como pela secreção vaginal, sêmem, sangue e leite materno. Muitos cuidados devem ser tomados, já que a nossa sociedade vive de uma maneira livre e sem muita precaução. Muitos sabem, mas poucos previnem uma relação sexual do vírus da AIDS com o preservativo. Os usuários de drogas, grupo de risco dentro dessa infecção, preocupam a sociedade médica já que compartilham material contaminado através de seringas ou agulhas, mas não só os usuários de drogas estão sujeitos a transmissão do vírus, mas qualquer tipo de transfusão feita com agulhas e seringas. Outros materiais cortantes também oferecem risco de transmissão se não forem esterilizados da maneira correta. As mamães portadoras da infecção devem tomar todo o cuidado com o seu bebê, pois podem transmitir a doença para a criança, mas podem evitar essa transmissão se os devidos cuidados forem tomados.

As pessoas necessitam desse conhecimento cada vez mais e precisam se conscientizar que para essa doença ainda não temos remédio antes que ela acabe com grande parte da sociedade. A AIDS é algo difícil de lidar, mas deve ser encarada e evitada pelos meios mais simples que existem: limpeza, cuidado e consciência. Hoje temos inúmeros meios de impedir o contagio, portanto, a sociedade deve cair em si e começar a colocá-los em prática.